Responsabilidade Socioambiental

O PINE entende que atuar com responsabilidade socioambiental é, sobretudo, agir de maneira ética em todas as suas esferas e, por meio de seu negócio, contribuir para o desenvolvimento econômico da sociedade, zelando para que todos os recursos sejam utilizados de maneira sustentável. Desde a sua fundação, esses princípios estão presentes nos valores da Instituição e se refletem no seu dia a dia por meio da construção de relacionamentos éticos e duradouros, baseados no respeito aos clientes, aos colaboradores, aos parceiros, às autoridades e a todos os públicos com os quais se relaciona.

A cada ano, ampliamos nossa atuação social com o aumento do número de projetos apoiados, abrangendo as áreas Cultural, Esportiva, Educacional e Social, entre os quais se destacam:

 

O PINE foi considerado pela IFC “The Most Green Bank” (“O Banco Mais Verde”) da América Latina e do Caribe. A IFC - International Finance Corporation - membro do Grupo Banco Mundial, que promove o desenvolvimento sustentável em vários países, concedeu também o prêmio de melhor banco emissor na categoria “Best Partner for Climate Smart Trade” pelo volume de recursos disponibilizados por meio de seu Global Trade Finance Program para setores considerados benéficos para a sociedade e o meio ambiente, em especial o de etanol.

No Ranking de Commodities da CETIP, o PINE é o segundo player em commodities para clientes.

O nosso relatório anual de 2014 foi eleito pela Associação Brasileira das Companhias Abertas (ABRASCA) a 2ª melhor publicação do gênero entre as empresas de capital listadas na bolsa com receita líquida abaixo de R$3 bilhões, em 2012 ficamos na 8ª colocação.

Essas são importantes conquistas e reconhecimentos de suas práticas de crédito responsável, sempre comprometido com ética e transparência.

Por meio da Lei do Audiovisual, o PINE patrocinou o documentário “Quebrando o Tabu”, em 2011 que conta com a análise do ex-presidente Fernando Henrique sobre o combate às drogas.

Por meio da Lei Rouanet, investiu em 2012 na exposição “Trajetória de Paulo Von Poser – Mostra comemorativa de 30 anos de exposições”. Reconhecido principalmente por sua série de pinturas e instalações inspiradas nas rosas, Paulo é um dos principais expoentes da arte brasileira. Em 2013 apoiou o Livro “Out Of Nowhere” de Miguel Rio Branco um dos maiores artistas contemporâneos brasileiros.

Idealizado por Mailson da Nóbrega, em 2013, patrocinou o documentário “O Brasil deu certo, e agora?” que relata a história da economia brasileira e faz uma reflexão sobre o presente e o futuro do país.

No cinema patrocinou filmes como Além da Estrada, com direção de Charly Braun que recebeu prêmio de melhor diretor no Festival do Rio, em 2010 e “Vermelho Russo” inspirado no diário da atriz e escritora Martha Nowill, em 2013.

Pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte, o PINE apoiou o programa de formação de atletas para as equipes de diversas modalidades esportivas do Minas Tênis Clube. Em 2012 ajudou o programa de formação de atletas do Clube Pinheiros em São Paulo. Em 2013, apoiou o projeto da Casa da Paz – uma entidade socioeducativa filantrópica que desenvolveu um trabalho com crianças e adolescentes em Embu-Guaçu; e também à equipe de polo à cavalo feminino.

Por meio do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD), o PINE apoiou o Instituto Casa da Providência, que promove assistência e proteção à criança carente com idade entre quatro meses e quatro anos, cujas mães comprovadamente trabalhem, por meio de creches gratuitas em período integral, com atividades socioeducativas e o Instituto Alfabetização Solidária (AlfaSol), que atua na redução dos índices de analfabetismo entre jovens e adultos no País. Em 2013, também apoiamos o Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC) – Uma instituição sem fins lucrativos que oferece chance de cura e mais qualidade de vida para crianças e adolescentes. No mesmo ano participamos do jantar beneficente das Casas Taiguara que presta o serviço de acolhimento a crianças e adolescentes em risco social, apoiamos a ação do Mc Dia Feliz, com a doação de 1.000 vouchers para Casa do Zezinho e ao Instituto Criar, numa parceria com o TUCCA, a Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer uma entidade fundada com a proposta de elevar as taxas de cura e de melhorar a qualidade de vida de jovens carentes com câncer.

O PINE utiliza linhas de crédito aprovadas por organismos multilaterais como o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), DEG (pertencente ao banco alemão KFW), FMO (Finance for Development), OPIC (Overseas Private Investment Corporation), CCC (Commodity Credit Corporation) e IFC (International Finance Corporation), que exigem o compromisso do tomador com as "listas de exclusão" determinadas por esses órgãos. Isso significa não financiar projetos ou organizações que agridam o meio ambiente, que estejam envolvidas com práticas trabalhistas ilegais ou, ainda, que produzam, comercializem ou utilizem determinados produtos, substâncias ou atividades considerados nocivos à sociedade.

Também com foco na adoção de práticas essenciais para o relacionamento com órgãos internacionais, em 2008, o Banco PINE foi pioneiro entre os bancos de médio porte ao implementar o sistema de monitoramento ambiental e publicar relatório de sustentabilidade para empréstimos corporativos. O sistema, financiado pelo BID e coordenado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), constrói uma cadeia sustentável entre o Banco e seus clientes, uma vez que passam a ser exigidos das empresas-clientes compromissos com a sustentabilidade de seus negócios, expressos por meio de relatórios.

Reforçando ainda mais o compromisso com a perenidade dos negócios, mudamos em 2008 para uma sede adequada às normas de sustentabilidade, num edifício com certificação Green Building, que promove redução de consumo de energia, destinação de resíduos para reciclagem, vagas para carros de combustível menos poluente e para bicicletas, tratamento e reuso de água, ventilação, entre outros atributos.

Em julho de 2013, aderimos voluntariamente ao Protocolo Verde da Federação Brasileira dos Brancos (FEBRABAN), que prevê aos signatários atitudes sustentáveis como oferecer linhas de financiamento que fornecem a qualidade de vida da população e do meio ambiente, considerar os impactos e custos socioambientais na gestão dos ativos, promover o consumo consciente de recursos naturais, engajar continuamente stakeholders sobre políticas e práticas de sustentabilidade e promover a integração entre as organizações signatárias do Protocolo.

Todos os contratos assinados com nossos fornecedores, possuem cláusulas específicas que observam o respeito aos direitos humanos, meio ambiente, ética empresarial, prevenção contra corrupção e governança.

Para mais informações, clique aqui.